Versão digital

Esta revista
possui versão
digital

  • Disponível na App Store
  • Disponível em Google Play

Navegue pelas matérias
desta edição:

Divulgue esta página
nas suas redes sociais

Home » Projeto e Construção » Manual da Piscina » Edição 2012 » Matéria

Espaços para relaxar: saunas

Quem nunca pensou em ter uma sauna em casa? Saiba como implantá-la e aproveite para relaxar em grande estilo

Projeto Pedro Pinheiro Projeto Letícia Ruivo Projeto Letícia Ruivo

Imagine chegar em casa depois de um longo dia de trabalho e encontrar uma sauna prontinha para repor suas energias. Difícil imaginar quem nunca sonhou com essa cena. Mas não pense que ter uma no seu lar está muito distante da realidade. É possível, sim, ter saunas e banheiras em diferentes metragens e sem pesar muito no bolso. Vale conferir todas as dicas e aproveitar os momentos de descanso!


SAUNAS

A lista de benefícios é extensa. Além de garantir momentos de relaxamento, uma sauna ajuda no tratamento de doenças respiratórias, circulatórias e hipertensão, alivia dores na coluna e promove a hidratação da pele.

Gostou da ideia? Então, chegou a hora de comprar os equipamentos necessários. A escolha do modelo está relacionada às medidas do cômodo que irá recebê-lo. É fundamental levar em conta a metragem do espaço (comprimento x largura x altura) para garantir o bom funcionamento do gerador de calor ou vapor.

Para quem não tem muito espaço em casa, uma boa notícia: há empresas que comercializam geradores de vapor elétrico de pequeno porte que são instalados no boxe do banheiro. No mercado há três modos de funcionamento disponíveis.

Confira todos os detalhes e eleja a melhor opção para o seu lar:

Elétricos
É imprescindível ter um ponto de energia para alimentá-lo. Além disso, há necessidade de disjuntores e fiação elétrica especial, que deve ser feita de acordo com sua potência. "Os aparelhos elétricos para sauna a vapor contam com resistência blindada imersa em um reservatório onde o vapor é produzido e, em seguida, conduzido para os cômodos por uma tubulação de cobre ou ferro galvanizado", explica Augusto Melvino Araújo, diretor comercial da Sodramar.

A gás
É fundamental seguir as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para garantir o sucesso da obra. O ambiente que abrigará o equipamento deve ser arejado e ter um espaço reservado e isolado para acomodar os botijões. Os materiais usados são o GLP (gás liquefeito de petróleo) e o gás natural;

A lenha
O equipamento é fabricado com aço e isolado com lã de vidro. Vem acompanhado por marcadores de temperatura, chapéu refletor, chaminé, válvula para controle de oxigênio e suporte para essências. Atenção: escolha madeiras provenientes de áreas de manejo florestal para não prejudicar a natureza.


SAUNA SECA

Muito usada em regiões que registram baixas temperaturas. O método veio da Finlândia e atrai adeptos pelo mundo inteiro. "Entre as vantagens, destaco a eliminação de toxinas do corpo pelo suor", comenta Ana Lúcia Alves, responsável pelo setor de vendas e marketing da Socalor.

A área da sauna deve ser revestida com lambris de madeira seca (mogno ou cedro) e suas dimensões são projetadas de acordo com a potência do forno. "O ambiente deve ser isolado termicamente com lã de vidro ou isopor entre a madeira e a parede para conservar o calor", alerta Araújo.

Segundo Ana Lúcia, o pé-direito não pode ultrapassar 2,50 m para que o calor seja bem aproveitado. O local deve contar ainda com uma entrada de ar de 15 cm² para facilitar a dissipação de ar quente. "Ele fica atrás do forno. Também é fundamental instalar um respiro de 10 cm² na parede oposta, 15 cm abaixo da tubulação para ajudar na circulação", recomenda Araújo.

A temperatura pode chegar a 80ºC e o equipamento escolhido é um forno de aço inox, que pode ser elétrico, a gás ou a lenha, instalado no interior do ambiente. "O quadro de comando deve ficar do lado de fora", comenta o profissional.


A VAPOR

As temperaturas alcançadas são mais amenas e não ultrapassam os 45º. O costume veio da Turquia, país das saunas feitas com mármore, tetos côncavos e enormes caldeirões de bronze cheios de água, e foi expandido para o mundo inteiro.

Em terras brasileiras, os materiais mais indicados para o local são os antiderrapantes e impermeáveis, pois o contato com a umidade é diário. "Recomenda-se cerâmica ou pedras brutas", sugere Araujo.

De acordo com Ana Lúcia, o teto da sauna não deve ultrapassar 2,20 m de altura e é importante possui de 10 a 20 % de inclinação. "Dessa forma, a água não começa a pingar na cabeça dos usuários. Além disso, é recomendado pintá-lo com tinta epóxi ou
acrílica", comenta Ana Lúcia.

Para o isolamento térmico, é necessário aplicar vermiculita nas paredes e no teto logo após o reboco. Também é fundamental deixar uma abertura de aproximadamente meia polegada na parede oposta de onde sai o ar quente.


Aplicativos
Curso de AutoCAD 3d-c24h

Inscreva-se e receba
nossas newsletters








Arquitetura e Decoração
Arte e Artesanato
E mais...
Festa e Casamento
Gastronomia e Culinária
Jardinagem e Paisagismo
Projeto e Construção

Portal CasaDois Editora

Aviso

  • A CasaDois Editora não contrata serviços de terceiros para cobranças ou qualquer outro trabalho administrativo-financeiro. Todos os contatos são feitos pelos nossos departamentos. Qualquer dúvida, ligue para (11) 2108-9000 ou mande e-mail para financeiro@casadois.com.br

Social

  • A CasaDois Editora está nas redes sociais. Acompanhe-nos!
  • Facebook Twitter Youtube